02/08/2016

0

RESENHA: Menina Má

Sinopse: Será a maldade uma semente dentro de nós? Rhoda, a pequena malvada do título, é uma linda garotinha de 8 anos de idade. Mas quem vê a carinha de anjo, não suspeita do que ela é capaz. Seria ela a responsável pela morte de um coleguinha da escola? A indiferença da menina faz com que sua mãe, Christine, comece a investigar sobre crimes e psicopatas. Aos poucos, Christine consegue desvendar segredos terríveis sobre sua filha, e sobre o seu próprio passado também. Menina Má é um romance que influenciou não só a literatura como o cinema e a cultura pop. A crueldade escondida na inocência da pequena Rhoda Penmark serviria de inspiração para personagens clássicos do terror, como Damien, Chucky, Annabelle, Samara, de O Chamado, e o serial killer Dexter. O romance de William March, que chega as livrarias em 2016, é ainda uma excelente dica de leitura para os fãs da coleção Crime Scene, da DarkSide Books, que investiga casos reais de psicopatas. A ficção nunca antes foi tão assustadoramente real como em Menina Má


Esse livro foi mais do que eu esperava, pelas críticas que tinha lido pensei que seria bem bobinho, infantil. Quem narra o livro é a mãe da Rhoda, Christine é uma cidadã americana bem pacata, seu marido trabalha viajando e ela cuida quase que sozinha de Rhonda, quase porque ela tem duas vizinhas que passam bastante tempo com as duas, para as vizinhas a Rhonda é uma criança adorável. Mas não para o zelador do prédio que sempre desconfiou da menina. Aparentemente as duas mudam para este prédio por causa de um acidente que aconteceu na antiga cidade onde a família morava. Na cidade nova as coisas não mudam muito, vai tudo bem até que em uma excursão o menino Claude morre, aparentemente afogado. Óbvio que teve um dedo de Rhonda. A garota começou a perceguir o menino após ele ganhar uma medalha de caligrafia, que Rhonda sempre quiz, essa medalha vira uma obssessão para a garota. As diretoras do colégio super tradicional da cidade decidem afastar Rhonda, sem revelar de fato o motivo. Chistine tenta investigar. A mãe chega a ser bem ingênua durante boa parte do livro sem desconfiar da menina, mas algo muda quando ela descobre que sua mãe, avó de Rhonda, era uma serial killer, que matou toda a família do ex-marido e a própria para ficar com a herança. Mas a única sobrevivente foi Christine, na época a mais nova, que foi adotada por um outro casal. Com essa revelação ela se culpa por transmitir o gene assassino de sua mãe para a filha Rhonda e tudo começa a fazer sentido para ela.Todas as mortes, não vou dar mais spoiler, mas tem mais mortes provocadas pela garota...
O mais incrivel é que o autor tenta passar uma inocência muito grande de Rhonda, é como se ela tenha nascido para matar, inclusive as mortes são provocadas por ela, mas ela não utiliza nenhuma arma por exemplo, ela mata as pessoas com frieza e calculismo. Algumas das mortes sem tocar na pessoa. Vocês tem que ler o livro para entender melhor. Este conseguiu sim me surpreender, a leitura é bem rápida, o livro tem umas 280 páginas. O que chama atenção claro é a capa, que apesar de acharem assustadora eu achei muto fofa.

NOTA: 4,5/5

Mais detalhes do livro:

 






 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentem Girls! *-*